Tenho uma ideia de negócio. E agora?

By LISPOLIS Oct 16, 2019

Desde a sua génese que o LISPOLIS apoia projetos nascentes.

Tenho uma ideia de negócio. E agora?

Muitos acreditam que uma ideia de negócio inovadora é tudo. Contudo, são também muitos os que falham na concretização do seu projeto, seja por falta de competências na equipa inicial, seja por falta de planeamento, seja por falta de dinheiro para viabilizar o negócio ou seja por falta de validação da ideia junto do mercado.

A verdade é que uma boa ideia não basta e conta muito pouco para a concretização de um negócio. É preciso testar a aplicabilidade prática da mesma, verificar se existe validação do mercado e também planear a monetização para que se torne num negócio, ou seja, é preciso descobrir se a ideia é exequível e se alguém compraria aquele produto ou serviço, ou se não passa de uma boa ideia no papel.

É por este motivo que existem vários programas de apoio ao empreendedorismo, de menor ou maior dimensão e intensidade, que durante um determinado período de tempo permitem aos empreendedores descobrir se vale a pena investirem o seu tempo e dinheiro no projeto que lançaram, se têm de o alterar ou mesmo abandonar.

O programa Startup Voucher é um desses exemplos, uma vez que se trata de uma medida no âmbito da estratégia Startup Portugal que tem como objetivo oferecer aos jovens portugueses entre os 18 e os 35 anos uma bolsa mensal e prémios de avaliação intermédia que lhes darão a margem de manobra para verificar a viabilidade da sua ideia.

Assim, durante um ano os projetos podem avançar com segurança e sustentabilidade, uma vez que os promotores (no máximo 2 bolseiros e até 5 promotores, no total) recebem um incentivo financeiro para perseguir o seu sonho. Estes projetos recebem ainda, no âmbito do programa, mentoria gratuita por parte de uma incubadora acreditada, que fornece apoio em vários níveis, desde a formulação de um plano de negócios à preparação de um pitch.

Os projetos passam por 3 fases de avaliação, nas quais o IAPMEI, entidade gestora deste programa, avalia a evolução da ideia. Numa primeira fase, espera-se que os projetos desenvolvam a sua ideia e estudem a aplicabilidade dos resultados de I&D. Já numa segunda fase, os projetos devem apostar no desenvolvimento da tecnologia e do modelo de negócio. Por fim, na terceira fase deve focar-se na consolidação do plano de negócios. No final do programa, o objetivo será que os projetos constituam empresa formal, recebendo um prémio monetário.


Porque escolher o LISPOLIS como Incubadora?

O LISPOLIS tem mais de 25 anos de experiência no apoio ao empreendedorismo e tem vindo a consolidar os seus conhecimentos na área com a participação enquanto mentor e júri em programas de aceleração.

Além disso, a experiência da sua equipa tem sido consolidada através do programa Startup Voucher, que já vai para a sua terceira edição e foi acompanhado de perto desde o início pelo LISPOLIS, com a mentoria oferecida a 15 projetos das duas edições anteriores.

No âmbito do Startup Voucher, o LISPOLIS apoia na preparação de documentos iniciais do projeto, realiza reuniões com mentores internos e externos ao programa, ajuda na criação de um pitch vencedor e utiliza a gravação de vídeo-pitchs para que os participantes possam rever as suas performances e melhorar constantemente os seus discursos e posturas. Também promovemos encontros entre os vários projetos do programa e sessões de networking com investidores e promotores de empresas já estabelecidas no mercado.

Veja aqui alguns testemunhos:

Lucas Sampaio – Projeto Electric Taxi System (ETS)

Fadhil Musa – Projeto Delox

Tiago Mota – Projeto Agropor

Luís Alberto – Projeto Gamma-D

Candidate a sua ideia ao Startup Voucher! A primeira cut-off date é já a 26 de novembro!

Descubra o Guia de Apoio para Apresentação da Candidatura no site do IAPMEI.